PAZ E BEM
 

CONFIE SEMPRE
Não percas a tua fé entre as sombras do mundo. Ainda Que Os Teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima De ti mesmo. Crê e trabalha. Esforça-te no bem e espera Com paciência. Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá. De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança Em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação Da fé e prosseguir vivendo. Eleva, pois, o teu olhar e caminha. Luta e serve. Aprende e adianta-te. Brilha a alvorada além da noite. Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte. Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.

Chico Xavier



Escrito por Raul Giannini às 18h55
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

OLHA QUE IMAGEM LINDA , ESSA É A VERDADEIRA IMAGEM DE DEUS ...  ELE ESTA NAS PEQUENINAS COISAS NA VIDA , NO NOSSO CORAÇÃO VAMOS BUSCAR ESSE AMOR QUE SE ENCONTRA EM NÓS MESMO .

PAZ!



Escrito por Raul Giannini às 11h08
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

Amigos ja publiquei esse texto no inicio desse meu blog que uso como  uma valvula de escape e assim poder                                                               estudar o evangelho de cristo e também colocar minhas idéias por aqui .

Mais vamos para o assunto ,,, estou publicando novamente esse belo texto escrito por Richard Simonetti para refletirmos, que nada é puro acaso e que temos de orai e vigiai .

Raul.

 

 

Fechar as portas

Desde as culturas mais remotas encontramos referências à influência exercida por seres invisíveis.
Na antiga Grécia eram os deuses que interferiam no destino humano, de conformidade com seus humores e caprichos.
Na Idade Média consagrou-se a idéia do demônio, ser rebelado contra Deus, especializado em atazanar os homens, induzindo suas vítimas à perdição.
Sabemos hoje que os invisíveis são as almas dos mortos, homens desencarnados, que agem de conformidade com suas tendências e desejos.
O chamado plano espiritual é apenas uma proteção da crosta terrestre. Começa exatamente onde estamos. Boa parcela dos defuntos aqui permanece, exercendo sobre nós ampla e insuspeita pressão psíquica.
Na questão 459, de ‘‘O Livro dos Espíritos’’, os mentores que assistiam Kardec nos fornecem a notícia de que essa influência é tão grande que não raro eles nos dirigem.
Algo para se pensar, não é mesmo, caro leitor?
Muitas pessoas, nos Centros Espíritas, são informadas de que seus problemas estão relacionados com a presença de inimigos espirituais que as assediam buscando desforra por passadas ofensas.
Em princípio está certo.
Problemas físicos e psíquicos que resistem aos recursos da Medicina podem originar-se dessa influência, com a possibilidade de se tornarem crônicos, porquanto os médicos ignoram as causas. Cuidam precariamente dos efeitos.
Mas há um detalhe:
Nem sempre estamos às voltas com vingadores.
Nem sempre essa pressão envolve motivação passional.
São Espíritos presos à vida material, aos seus vícios e interesses.
Sofrem por isso um adensamento do corpo espiritual. Isto os leva a viver como se fossem encarnados, sentindo necessidades relacionadas com alimentação, abrigo, sexo, vícios...
Daí ligarem-se aos homens, nutrindo-se de seu magnetismo, e satisfazendo seus anseios nos domínios das sensações.
Esses ‘‘hóspedes’’ não intentam nos prejudicar.
A expressão mais correta seria explorar.
Exploram nosso psiquismo, servem-se dos fluidos densos que lhes possamos oferecer.
É uma associação perturbadora, porquanto nos sujeita aos seus desajustes. E nos exaure psiquicamente, já que eles agem como autênticas sanguessugas espirituais.
Durante seu apostolado houve freqüentes contatos de Jesus com tais Espíritos, chamados por seus contemporâneos imundos, impuros, maus...
Vezes inúmeras os afastou de suas vítimas, usando de sua irresistível força moral.
E o Mestre antecipava o conhecimento espírita, ao dizer, textualmente (Mateus, 12:43- -45):
Quando o Espírito impuro tem saído dum homem, anda por lugares áridos, procurando repouso; não o encontrando, diz: - Voltarei para minha casa, donde saí.
E, ao chegar, acha-a desocupada, varrida e adornada.
Então ele vai, e leva consigo mais estes Espíritos piores do que ele, e ali entram e habitam.
O último estado daquele homem fica sendo pior que o primeiro.
A casa a que se refere Jesus é a mente humana, habitada por nossos pensamentos.
A estrutura, organização e disposição dependem do morador ---- a vontade.
Uma casa escura ---- morador deprimido.
Uma casa abafada ---- morador pessimista.
Uma casa em desordem ---- morador confuso.
Uma casa iluminada ---- morador feliz.
Uma casa arejada ---- morador animado.
Uma casa bem arrumada ---- morador organizado.
Por que Espíritos desajustados nos envolvem e influenciam tão facilmente?
Podemos responder com a velha pergunta de algibeira:
Por que o cachorro entra na Igreja?
Ora, entra porque a porta está aberta!
Exatamente o que acontece com essas entidades.
Aproximam-se de nós, envolvem- nos, invadem nossa casa mental porque, segundo a expressão evangélica:
Está desocupada ---- vazia de ideais superiores, de motivação existencial.
Está varrida e adornada ---- atraente para os invasores, receptiva às suas sugestões.
A intervenção dos benfeitores desencarnados e os recursos mobilizados no Centro Espírita promovem seu afastamento.
Todavia, isso não é o bastante.
Fundamental que aprendamos a nos defender, que tenhamos cuidado, porquanto pode ser que eles resolvam voltar e venham acompanhados de outros iguais ou piores. O estrago será maior.
Necessário, portanto, fechar a porta, impedir seu acesso.
Na questão 469, de ‘‘O Livro dos Espíritos’’, Kardec pergunta aos mentores espirituais como podemos fazer isso.
A resposta é bastante elucidativa: ‘‘ ---- Praticando o bem e pondo em Deus toda a vossa confiança (...).’’
Quem se empenha em servir e tem certeza da proteção divina resguarda a casa mental contra malfeitores e desocupados do Além. Uma pergunta que deveríamos formular a nós mesmos:
Que tipo de gente recebemos em nossa casa mental?
Não é difícil definir.
Basta analisar como estamos, nossas emoções e sentimentos.
Talvez seja preciso despejar hóspedes indesejáveis e convidar outros mais recomendáveis, em favor de nossa paz.

(Richard Simonetti)

 



Escrito por Raul Giannini às 11h06
[] [envie esta mensagem] []


 
 

O dia de amanhã ninguém usou.
Pode ser seu !

 Sofre pôr antecipação
quem vive pensando bobagens
que não se realizam.

Portanto, olhe para o seu futuro com a ternura de uma criança
Espere dele sempre as melhores coisas,
As melhores oportunidades...
Os melhores caminhos devem ser seguidos com fé e persistência...
Pois os obstáculos que aparecerão...
Deverão ser enfrentados e vencidos

Confie em si mesmo...
Mas não se esqueça jamais,
de confiar em Deus
E busque a realização dos seus sonhos,
sempre Sorrindo !!!

E...Que o Amor Único de Deus,
inspire sempre
Todas as Almas para o Bem...

(Autor: Antonio de Aquino)



Escrito por Raul Giannini às 21h43
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

O Evangelho no Lar Disse Jesus: "Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ai estou no meio deles". (Mateus 18:22)

O Evangelho no Lar possibilita atender as orientações de Jesus, porquanto se destina ao estudo dos Evangelhos, a fim de melhor compreender os seus ensinos e praticá-los.

Permite um momento de comunhão de idéias e sentimentos entre os familiares e Jesus, objetivando a conquista da harmonia da família.

Permite ainda a formação de um ambiente de paz, propício à elevação espiritual.

Durante O Evangelho no Lar, deve-se estudá-lo metodicamente. Para tal aconselha-se que esse estudo seja feito através da obra O Evangelho Segundo o Espiritismo, porque explica claramente inúmeras passagens evangélicas.

Por este motivo, nessas reuniões, o Evangelho deve ser lido e estudado de forma e seqüente.

Desaconselha-se a sua leitura abrindo O Evangelho ao acaso, evitando-se assim, criar crendices supersticiosas, de que procedendo, os Espíritos abrem na página apropriada para quem o abre, ou para os presentes, pois sabemos que em todas as demais páginas, nos advertem e nos orientam com toda a objetividade.

Lembremo-nos de que O Evangelho no Lar visa possibilitar-nos maiores conquistas morais e espirituais, com ele conseguimos mais facilmente a nossa reforma íntima, o que facilita expurgar as crendices e as superstições que ainda nos acompanham e que tanto nos têm prejudicado.

O Evangelho no Lar deve revestir-se da maior simplicidade, sem uso de qualquer forma exterior, o que daria um cunho de liturgia e de ritual, incompatíveis com o ensino de Jesus e da Doutrina Espírita.

Para a reunião deve-se obter o consenso dos familiares (mas o Evangelho no Lar também pode ser praticado por apenas uma pessoa, caso os familiares não queiram participar), convidando-os a estabelecer para tal um dia da semana, qualquer dia, mas sempre o mesmo. Também se escolherá uma hora, para que estejam presentes, evitando-se assim assumir outro compromisso para aquele dia e hora.
A reunião se processará da seguinte forma:

1- Prece inicial: simples, breve, objetiva, de maneira que o coração fale mais alto do que as palavras.

2- Leitura de pequeno trecho do Evangelho: Lido sempre de forma seqüente e metódica.

3- Comentar o trecho lido: comentar não é discutir, e sim expor o pensamento de cada um, da maneira como entendeu. Todos devem participar.

4- Vibrações: Com o recolhimento interior, emitir pensamentos e sentimentos elevados em favor dos que sofrem e para harmonização dos lares desajustados. Vibrar para o próprio lar.

5- Prece e encerramento: as mesmas recomendações feitas para a prece inicial.

As preces, a leitura e as vibrações podem ser feitas em rodízio.

O Evangelho no Lar não é uma sessão mediúnica ou de cura. Estas devem ocorrer nas Casas Espíritas.

O Evangelho no Lar é despojado de qualquer liturgia ou simbologia, por isso desaconselha-se o uso de velas, flores, toalhas brancas, defumadores, cujo uso passa a constituir uma cerimônia religiosa, um culto ou um ritual incompatíveis com a pureza do Cristianismo e da Doutrina Espírita.

O Evangelho no Lar é, na verdade, uma Escola de Jesus em que se aprende a Amar o próximo como a nós mesmos, para amar a Deus sobre todas as coisas.



Escrito por Raul Giannini às 16h25
[] [envie esta mensagem] []


 
 

Amigos venho de uma bela palestra realizada aqui no centro espírita Ismael em Tanabi/SP e nosso querido palestrante falou desse espírito de Luz que é Fabiano de Cristo ,  enquanto encarnado tanto trabalhou pelo mais necessitados da ajuda física e espiritual .  Com certeza esse servo de Jesus que trabalhou pelos irmãos se encontra do outro lado da vida maior trabalhando ainda mais pelos irmãos sofredores dos vales e do sofrer da própria conciência .

Paz em Cristo

 

 FABIANO DE CRISTO

Em 08 de fevereiro de 1676, no vilarejo de Soengas às margens do rio Minho - PORTUGAL, nasce o pequeno João Barbosa, filho de Gervásio Barbosa.

O pequeno João foi criado junto ao campo, tendo como obrigação cuidar do rebanho de ovelhas de seu pai e provavelmente foi nesse ambiente que ele pôde trabalhar sua meiguice, paciência e humildade.

Mais tarde, muda-se para a cidade do Porto onde logo se estabelece comercialmente.

Nesta época, com a febre do ouro no Brasil, nosso jovem decide arriscar a vida na colônia com a esperança de em pouco tempo tornar-se rico.

Meses depois, João Barbosa desembarca na cidade do Rio de Janeiro, partindo em seguida para Minas Gerais.

Já na região do ouro, João Barbosa resolve abraçar novamente a vida de comerciante, adquirindo fortuna respeitável e mudando-se para Parati-RJ, onde se estabelece.

Como próspero comerciante sempre colocou boa soma daquilo que conseguia para auxiliar os mais necessitados.

Certa vez, já maduro, João Barbosa se depara com uma pessoa caída na rua vítima de assaltantes. Socorre-o e o encaminha a uma estalagem e lá presta-lhe os socorros necessários.

Durante a madrugada, através da boca do doente, Barbosa escuta pela primeira vez a voz daquele que ele buscava em tudo que fazia: Jesus Cristo, que lhe diz - "É chegada a hora de novamente trabalharmos juntos em favor dos que sofrem".

João Barbosa não hesita. Dá todos os seus bens e em 08 de novembro de 1704 ele se apresenta à portaria do Convento de São Bernardino de Sena, em Angra dos Reis, e no dia 11 de novembro de 1704 veste o hábito dos franciscanos trocando seu nome para Fabiano de Cristo.

Em 1705 é transferido para o Convento de Santo Antônio no Rio de Janeiro, onde recebe o cargo de porteiro.

Por volta de 1708, Fabiano recebe o encargo de enfermeiro e mesmo sem nenhum conhecimento neste ramo, exemplificou o esforço pessoal e a caridade auxiliando a muitos.

Seu devotamento era tanto que durante anos optou por dormir na própria enfermaria para que estivesse sempre pronto em caso de qualquer necessidade.

Realizou este trabalho no Convento durante aproximadamente 30 (trinta) anos.

Mesmo com todo esse trabalho é preciso lembrar que Fabiano trazia em si chagas nas duas pernas, aparecendo-lhe mais tarde um quisto no joelho que foi aberto a ferros em 4(quatro) lugares, sendo que na época não havia medicação que combatesse a dor ou a inflamação e mesmo assim nunca se ouviu dele o mínimo de queixa ou atitude de revolta.

Prevendo o seu desencarne, Fabiano avisa seus companheiros com três dias de antecedência, ou seja, em 14/10/1747.

No dia 15/10/1747 Fabiano de Cristo trabalha acalentando a todos que se encontravam na enfermaria.

***Em 16/10/1747, todos os irmãos do convento se dirigem a Fabiano para se despedirem, até que ele pede para ficar só e no dia previsto, 17/10/1747, ele desencarna mobilizando toda a cidade do Rio de Janeiro.

**************************************

HOSPITAL ESPÍRITA “FABIANO DE CRISTO”
TRATANDO O HOMEM DE FORMA INTEGRAL

O homem é um “ser” de múltiplas faces, cada qual necessitando de sustentação, para que ele possa viver utilizando todo seu potencial.
O homem social, necessita estar agindo de acordo com as normas estabelecidas pela sociedade:
- no relacionamento familiar precisa ter carinho, apoio e segurança
- com os amigos precisa do ombro que conforta, das palavras de incentivo e da ajuda habitual
- no trabalho precisa de perspectivas sempre novas, satisfação no serviço e a sensação de dever cumprido, para que a parte financeira venha naturalmente
O homem pessoal, necessita ter harmonia entre o corpo, os sentimentos e os pensamentos:
- na sustentação física precisa de boa alimentação, descanso e higiene
- nos sentimentos precisa de estabilidade, serenidade e cuidado, para não se entregar à toa
- nos pensamentos, precisa de disciplina, boas idéias e inteligência.
O homem espiritual, necessita estar em comunhão com Deus, suas Leis e com os amigos espirituais:
- com aqueles que já partiram para a espiritualidade precisa de esperança, com os mentores, estar em sintonia e com os inferiores precisa de perdão e vigilância.
- para com a Lei precisa ter boa-vontade, perseverança e dedicação
- para com Deus precisa de fé, amizade e amor.
Este é o homem integral que nós tanto desejamos ser, venha conosco e ajude o seu próximo na busca dessa verdadeira felicidade.



Escrito por Raul Giannini às 22h10
[] [envie esta mensagem] []


 
 

A todos irmãos uma linda semana  na paz de Cristo

Confie sempre , pois Jesus é Fiel ...

Abraços



Escrito por Raul Giannini às 23h13
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

SEM CONDIÇÕES

Não exijas dos outros o que não possas dar;

Cada qual vive e luta com seus próprios problemas.

Quem errou, é provável que buscasse acertar.

Quem no mal se compraz é doente difícil.

Se queres amparar não traces condições.

De quantos auxilia, o Bem não sabe o nome.


pelo Espírito Irmão José - Do livro: Tende bom ânimo,

 Médiuns: Francisco Cândido Xavier e Carlos Baccelli - Autores Diversos



Escrito por Raul Giannini às 23h06
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

“O Senhor corrige:
a ignorância: com a instrução;
o ódio: com o amor;
a necessidade: com o socorro;
o desequilíbrio: com o reajuste;
a ferida: com o bálsamo;
a dor: com o sedativo;
a doença: com o remédio;
a sombra: com a luz;
a fome: com o alimento;
o fogo: com a água;
a ofensa: com o perdão;
o desânimo: com a esperança;
a maldição: com a benção.
Somente nós, as criaturas humanas, por vezes, acreditamos que um golpe seja capaz de sanar outro golpe.
Simples ilusão.
O mal não suprime o mal.
Em razão disso, Jesus nos recomenda amar os inimigos e nos adverte de que a única energia suscetível de remover o mal e extingui-lo é e será sempre a força suprema do bem.”
Bezerra de Menezes



Escrito por Raul Giannini às 23h01
[] [envie esta mensagem] []


 
 



Escrito por Raul Giannini às 22h58
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

REENCARNAÇÃO DE SANTOS DUMONT

 

Autor: Gerson Simões Monteiro
 
      O leitor Gilson Machado me perguntou o seguinte: se o Espírito Santos Dumont já havia se comunicado por algum médium; se já estaria reencarnado; ou se estava no mundo espiritual assistindo às comemorações do centenário do primeiro vôo do seu avião 14 BIS em torno da Torre Eifel, em Paris. Bem respondendo à sua primeira pergunta, informo-lhe que em julho de 1948, Santos Dumont enviou pelo médium Chico Xavier uma oportuna mensagem, na qual diz em certo trecho: “Não há vôo mais divino que o da alma. Não existe mundo mais nobre a conquistar, além do que se localiza na própria consciência, quando deliberarmos converter-nos ao bem supremo. Alcemos corações e pensamentos ao Cristo”. O texto na íntegra está publicado no livro Trinta Anos com Chico Xavier.
     Com relação à sua segunda pergunta, esclareço-lhe que ele reencarnou na cidade de Campos, em março de 1956, como filho de Clovis Tavares e de Hilda Mussa Tavares, com o nome de Carlos Vitor, segundo revelação de Chico Xavier.  Aos nove meses de idade ele caiu de um carrinho de bebê, e com o tombo deslocou a vértebra cervical, ficando tetraplégico. Esse fato foi narrado por seu irmão Dr. Flavio Mussa Tavares, médico homeopata, ao ser entrevistado pelo jornal Folha Espírita de abril desse ano.
     Dr. Flávio disse, também, que seu irmão, Carlos Vitor, a partir daí passou a depender totalmente de seus pais, dele e de sua irmã, vindo a desencarnar aos 17 anos de idade, em fevereiro de 1973. Como se sabe, Santos Dumont enforcou-se no dia 23 de julho de 1931, no Guarujá, em São Paulo, ao ficar deprimido durante a revolta constitucionalista, quando presenciou mineiros e paulistas a digladiarem-se pelo céu, usando o avião como arma de guerra. Não suportando ver o seu invento sendo usado para matar, cometeu o suicídio.
     Foi por isso, diz Chico Xavier, que o Espírito Santos Dumont, antes de reencarnar, decidiu expiar a sua morte pelo suicídio, por meio de uma vida curta como paraplégico. Eis por que a queda acidental sofrida por Carlos Vitor, aos nove meses de idade, deslocou a sua vértebra cervical. Chico Xavier disse, também, num programa de TV, que a vértebra já estava deslocada no seu perispírito, isto é, no corpo semimaterial que envolve o Espírito, lesada ao se enforcar. Esse depoimento, aliás, encontra-se registrado no livro Jesus e Nós.



Escrito por Raul Giannini às 22h37
[] [envie esta mensagem] []


 
 



Escrito por Raul Giannini às 19h29
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

Amigos, Boa Noite .

Não sei vocês, mas para mim a música é universal. Não importa o tipo, o toque, quem seja ou de onde; o que importa é que transmita e reflita o sentimento que você sente.

Recentemente comprei um CD de um cantores  evangélico (para que o espanto? eu escuto música evangélica também :-D ) e tem uma música especial que desde que ouví pela primeira vez fiquei com vontade de postar aqui ::

 

Sinto um ar diferente perfume de unção sobre a gente,
E vejo o céu se abrir neste lugar
O tremendo Deus põe-se em pé para nos abençoar.
Vejo no ar está unção que perfuma a nossa oração
E chega até o trono faz tremer o céu como um trovão.

Vejo movimentando a águas para nos curar
Desfazendo as correntes para o milagre realizar
Vai ser agora aqui, vai acontecer
O inimigo vai fugir não resisti à unção.
O perfume se espalha sobre os irmãos
Vai em frente faça o seu pedido com determinação.

Coro:
É o perfume da unção que Deus derramou
Se espalhando hoje aqui.
A benção chegou o anjo está entregando
E as lágrimas rolam, Deus aqui está.
Vai dando glória pra fazer o inferno estremecer
Vai clamando porque está glória vai te encher
Sinta o perfume da unção, receba a cura meu irmão,
É tremendo, é unção, é poder.

É tremendo, é unção, é o poder de Deus.
É perfume da unção de Deus ..

 

 

 



Escrito por Raul Giannini às 19h24
[] [envie esta mensagem] []


 
 

Irmãos em Cristo ...

Que bela noite de quinta feira ,   eu aqui desanimado sem motivação a escrever ou ficar em frente ao pc , mais foi tocar uma linda canção para eu me sentir tocado pelos espiritos de luz e paz .

Por isso segue uma :

Prece

Amado mestre venho nesse momento abrir meu coração te agradecer pela vida , pela saúde e pela paz .

Pois temos momentos de ingratidão e esquecimento do vosso amor conosco , somos ingratos pois tu estas presente a todo momento em nossas vidas e nós filhos não valorizamos.  Senhor amado mestre entendo que melhor louvor , melhor adoração ao ´vós nosso pai é no trabalho do coração pelos irmãos mais necessitados aqueles  varridos pela sargetas e que precisa de um amparo , e que Deus tenho Misericordia de nós seres ainda em busca de evolução  por muitas vezes desprezar esses momentos que poderiamos  ter dado a mão a essa pessoa e tentar erguela .          Misericórida ..

Assim seja !!

Na Paz !

 

 

É teu este momento de adoração..
Não tenho nem palavras para me expressar
O brilho desta luz que vem do teu olhar
Encontro meu abrigo meu lugar

E quando estamos juntos entre nos está
Passando em nosso meio a nos abençoar
E tocas com ternura com a tua mão
A cada um que abre o coração

Minhas mãos se elevam
Minha voz te louva
O meu ser se alegra
Quando estou em tua presença...Senhor


Escrito por Raul Giannini às 22h08
[] [envie esta mensagem] []


 
 

 

Então, num crepúsculo estrelado, Maria entregou-se às orações, como de costume, pedindo a Deus por todos aqueles que se encontrassem em angústias do coração, por amor de seu filho.

Embora a soledade do ambiente, não se sentia só: uma como força singular lhe banhava a alma toda.

Aragens suaves sopravam o oceano, espalhando os aromas da noite que se povoava de astros amigos e afetuosos e, em poucos minutos, a lua plena participava, igualmente, desse concerto de harmonia e de luz. Enlevada nas suas meditações, Maria viu aproximar-se o vulto de um pedinte.-Minha mãe - exclamou o recém-chegado, como tantos outros que recorriam ao seu carinho -, venho fazer-te companhia e receber a tua bênção. Maternalmente, ela o convidou a entrar, impressionada com aquela voz que lhe inspirava profunda simpatia.

O peregrino lhe falou do céu, confortando-a delicadamente.

Comentou as bem-aventuranças divinas que aguardam a todos os devotados e sinceros filhos de Deus dando a entender que lhe compreendia as mais ternas saudades do coração.

Maria sentiu-se empolgada por tocante surpresa.

Que mendigo seria aquele que lhe acalmava as dores secretas da alma saudosa, com bálsamos tão dulçorosos?

Nenhum lhe surgira até então para dar; era sempre para pedir alguma coisa.

No entanto, aquele viandante desconhecido lhe derramava no íntimo as mais santas consolações.

Onde ouvira noutros tempos aquela voz meiga e carinhosa?!

Que emoções eram aquelas que lhe faziam pulsar o coração de tanta carícia?

Seus olhos se umedeceram de ventura, sem que conseguisse explicar a razão de sua terna emotividade.Foi quando o hóspede anônimo lhe estendeu as mãos generosas e lhe falou com profundo acento de amor: -"Minha mãe, vem aos meus braços!"Nesse instante, fitou as mãos nobres que se lhe ofereciam, num gesto da mais bela ternura.

Tomada de comoção profunda, viu nelas duas chagas, como as que seu filho revelava na cruz e, instintivamente, dirigindo o olhar ansioso para os pés do peregrino amigo, divisou também aí as úlceras causadas pelos cravos do suplício.

Não pôde mais.

Compreendendo a visita amorosa que Deus lhe enviava ao coração, bradou com infinita alegria:
-"Meu filho! Meu filho! As úlceras que te fizeram!"

E precipitando-se para ele, como mãe carinhosa e desvelada, quis certificar-se, tocando a ferida que lhe fora produzida pelo último lançaço, perto do coração.

Suas mãos ternas e solícitas o abraçaram na sombra visitada pelo luar, procurando sofregamente a úlcera que tantas lágrimas lhe provocara ao carinho maternal.

A chaga lateral também lá estava, sob a carícia de suas mãos.

Não conseguiu dominar o seu intenso júbilo.

Num ímpeto de amor, fez um movimento para se ajoelhar.

Queria abraçar-se aos pés do seu Jesus e osculá-los com ternura.

Ele, porém, levantando-a, cercado de um halo de luz celestial, se lhe ajoelhou aos pés e, beijando-lhe as mãos disse em carinhoso transporte:-"Sim, minha mãe, sou eu!...

Venho buscar-te, pois meu Pai quer que sejas no meu reino a Rainha dos Anjos..."Maria cambaleou, tomada de inexprimível ventura.

Queria dizer da sua felicidade, manifestar seu agradecimento a Deus; mas o corpo como que se lhe paralisara, enquanto aos seus ouvidos chegavam os ecos suaves da saudação do Anjo, qual se a entoassem mil vozes cariciosas, por entre as harmonias do céu. No outro dia, dois portadores humildes desciam a Éfeso, de onde regressaram com João, para assistir aos últimos instantes daquela que lhes era a devotada Mãe Santíssima.Maria já não falava.

Numa inolvidável expressão de serenidade, por longas horas ainda esperou a ruptura dos derradeiros laços que a prendiam à vida material.A alvorada desdobrava o seu formoso leque de luz quando aquela alma eleita se elevou da Terra, onde tantas vezes chorava o júbilo, de saudade e de esperança.

Não mais via seu filho bem-amado, que certamente a esperaria, com as boas-vindas, no seu reino de amor; mas, extensas multidões de entidades angélicas a cercavam cantando hinos de glorificação.

(Extraído do Livro Boa Nova, pelo Espírito Humberto de Campos, psicografado por F. C. Xavier)



Escrito por Raul Giannini às 14h34
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 

HISTÓRICO



OUTROS SITES
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!